A EERP
em números

» Graduação

Graduação »
Mercado de trabalho

  • Informações gerais
    • Apoio
      Serviço de Graduação
    • Telefone
      +55 16 3315-3388
    • E-mail
      gradenf@eerp.usp.br
Enfermagem
É a ciência e arte que busca promover, manter e restabelecer a saúde das pessoas. O enfermeiro atua na proteção, na promoção e na recuperação da saúde, bem como na prevenção de doenças. Ele coleta os dados sobre o estado de saúde do paciente por meio de exames físicos e entrevistas e faz o diagnóstico de enfermagem para estabelecer as ações de enfermagem a serem seguidas. Trabalha em equipe multiprofissional (com médicos, nutricionistas, dentistas, terapeutas ocupacionais, psicólogos, dentre outros). É responsável pelos cuidados aos pacientes e supervisiona a equipe de enfermagem. A equipe de enfermagem é composta por três categorias: os enfermeiros (de formação universitária); os técnicos de enfermagem (de escolaridade de nível médio ou correspondente a 11 anos de estudos e com habilitação profissional); e os auxiliares de enfermagem (de escolaridade de nível fundamental ou correspondente a 8 anos de estudos e com qualificação profissional);


Enfermeiro
É o profissional, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, qualificado para o exercício de enfermagem, com base no rigor científico e intelectual e pautado em princípios éticos. Capaz de conhecer e intervir sobre os problemas/situações de saúde, doenças mais prevalentes no perfil epidemiológico nacional com ênfase na sua região de atuação, identificando as dimensões biopsicossociais dos seus determinantes. Capacitado a atuar, com senso de responsabilidade e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano.


O mercado de trabalho
Segundo dados do Ministério da Saúde compilados pela Pesquisa de Assistência Médico-Sanitária realizada pelo IBGE, na área da saúde para o ano de 2005, 56,4% dos empregos estavam alocados na esfera pública, sendo estes mais fortemente concentrados na região Sudeste do Brasil e no âmbito dos municípios. Este dado aponta que se tem em curso uma inversão dos empregos ofertados na área da saúde, decorrentes em parte das políticas públicas para o setor, marcadas pelo forte incremento da estratégia da Saúde da Família por todo o país. Assim, a Região Sudeste, historicamente, se destaca como o maior mercado de trabalho em saúde, e neste caso a enfermagem não foge a este quadro. Tem-se verificado uma tendência crescente do principal empregador dos enfermeiros nas metrópoles se constituir no setor público. Para o setor privado, que corresponde a 43,6% dos empregos em saúde, os maiores empregadores de enfermeiros continuam sendo os grandes hospitais. Excetuando-se as regiões Sul e Sudeste, ainda se verifica nas demais regiões do país carência do enfermeiro, tanto para atuar no setor público quanto no privado. A expansão da estratégia de Saúde da Família (ESF), do governo federal, tem favorecido a ampliação do mercado de trabalho para os enfermeiros em todo o país, pois cada equipe do programa tem de contar com, no mínimo, um profissional da área. Assim, no campo da enfermagem, os avanços e práticas de atuação profissional podem ser evidenciados nos diferentes contextos sociais.  Destacam-se: na esfera da promoção da saúde - os consultórios, as clínicas e serviços que visam à promoção e o melhor-viver da população; na esfera da recuperação da saúde - os serviços hospitalares e domiciliares, o atendimento pré e pós-hospitalar, além das práticas voltadas para o cuidado individual de crianças, adolescentes, mulheres, adultos e idosos. Nos serviços de consultoria, assessoria e atividades organizacionais - é possibilitado ao enfermeiro uma atuação autônoma e empreendedora no campo da gestão de serviços de saúde e outros; nas atividades de ensino e pesquisa - o estímulo à inserção dos alunos e profissionais nos grupos de pesquisa, projetos de extensão e uma interação aluno-comunidade mais intensa e otimizada.


Onde você pode atuar:
Administração em Enfermagem
Gerenciar os serviços e comandar equipes de técnicos e auxiliares de enfermagem no atendimento a pacientes.

Assessoria e consultoria
Auditar os procedimentos hospitalares de enfermagem e auxiliar na montagem de unidades de saúde.

Atendimento domiciliar
Organizar o cuidado prestado por outros profissionais da equipe de enfermagem, assim como cuidar de pacientes em sua residência, dando continuidade ao tratamento hospitalar ou ambulatorial. Auxiliar o paciente em exercícios terapêuticos, administração de terapêuticas diversas, cuidar de sua higiene e de seu bem-estar.

Educação
Atuar no processo de capacitação e desenvolvimento da equipe de enfermagem e desenvolver práticas educativas voltadas aos pacientes e familiares no cuidado à saúde. Ao Licenciado também cabe atuar como docente, em aulas teóricas e práticas de cursos profissionalizantes de enfermagem em nível médio e técnico, e em escolas de educação básica, desenvolvendo programas de saúde.

Enfermagem geriátrica

Atender idosos, doentes ou não, em domicílio, casas de repouso, clínicas e hospitais.

Enfermagem médico-cirúrgica
Ministrar cuidados pré e pós-operatórios e clínicos em prontos-socorros, clínicas e hospitais.

Enfermagem obstétrica
Dar assistência integral a gestantes, parturientes e lactantes, com acompanhamento de prénatal, realização de exames e auxílio ao médico no parto e no pós-parto. Orientar sobre planejamento familiar e cuidados com o recém-nascido.

Enfermagem pediátrica
Acompanhar e avaliar o crescimento e o desenvolvimento da criança. Incentivar o aleitamento materno e orientar os pais quanto às técnicas e aos cuidados com os recém-nascidos.

Enfermagem psiquiátrica
Atuar no cuidado direto de pacientes com transtornos psiquiátricos, em unidades de tratamento especializado, bem como em unidades de serviços da rede básica de saúde, em equipes multidisciplinares.

Enfermagem de urgência e emergência
Participar de equipes de salvamento de vítimas de acidentes ou de calamidades públicas, bem como de equipes de atendimento nos diferentes tipos de urgência e emergência.

Enfermagem de saúde pública
Orientar a população sobre a prevenção de doenças e promover a saúde da coletividade, através de procedimentos preventivos, curativos e promocionais. Organizar a assistência de enfermagem e atender pacientes em unidades básicas de saúde, Estratégia de Saúde da Família, ambulatórios, clínicas, serviços de vigilância epidemiológica e vigilância sanitária, creches e escolas. Formar, capacitar e supervisionar os agentes comunitários de saúde.

Enfermagem do trabalho
Dar atendimento ambulatorial em empresas e acompanhar programas de prevenção e manutenção da saúde dos funcionários.

Gestão da qualidade
Avaliar e planejar os processos assistenciais com o objetivo de aumentar a segurança dos pacientes e profissionais.

Gestão de projetos
Administrar e controlar as atividades destinadas a projetos multidisciplinares, como abertura de uma ala hospitalar ou implementação de um novo protocolo em clínicas ou hospitais.

Pesquisa clínica
Planejar, implementar e coordenar projetos de pesquisas clínicas, como o desenvolvimento de drogas e estudos epidemiológicos, em hospitais, institutos de pesquisa e universidades.
Fontes:
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Indicadores de gestão do trabalho em saúde: material de apoio para o Programa de Qualificação e Estruturação da Gestão do Trabalho e da Educação no SUS – ProgeSUS. Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2007. 290 p.
Guia do Estudante, adaptado. http://guiadoestudante.abril.com.br/profissoes/ saude/enfermagem-601807.shtml, acessado em 17/01/2011.
Erdmann AL, Backes DS. Formación de emprendedor en el oficio de enfermera: Promover capacidades y aptitudes políticas sociales. Enfermería Global 2008; 5(16): 32-43.
Voltar ao topo

Desenvolvido por